Se connecter

Accueil > Missão de língua portuguesa Lausanne

Missão de língua portuguesa Lausanne

Comunidades membros

Comunidade de língua portuguesa Moudon-Lucens

Eglise Saint-Nicolas de Flüe à Lausanne - Suisse

Apresentação

Apresentação

A comunidade de língua portuguesa Lausanne reúne-se na paróquia de St-Nicolas de Flüe em Lausanne.

Missa aos sábados, 19h00 e aos domingos, 11h30.

Junte-se a nós

Horários das
próximas missas

samedi 22 juin
à 19:00
Messe
Saint Nicolas de Flüe
Lausanne
En Portugais
dimanche 23 juin
à 11:30
Messe
Saint Nicolas de Flüe
Lausanne
En Portugais
samedi 29 juin
à 19:00
Messe
Saint Nicolas de Flüe
Lausanne
En Portugais

Coordonnées

Nous contacter

Organização

Ao serviço da comunidade

Evolução da Missão cantonal

O processo de restruturação da Missão cantonal chegará brevemente ao seu termo, com todas as comunidades integradas nas unidades pastorais locais, agora chamadas "interculturais".

Missiva das autoridades eclesiásticas do cantão às comunidades portuguesas :

História da Missão cantonal

Em 1971 foi criada a primeira Missão católica portuguesa na Suíça. Ficou instalada em Lausanne e cobria inicialmente o teritório da diocese de Lausanne, Genève et Fribourg.

Mais tarde, esta Missão ficou encarregue de toda a Suíça romanda, até começar a repartir-se em diversas Missões regionais, com a chegada de mais missionários.

Em 1 de Abril de 2003, as autoridades eclesiásticas decidiram cantonalizar as diversas Missões regionais, nascendo assim a Missão católica de língua portuguesa no cantão de Vaud, constituída por 11 espalhadas por todo o cantão: Lausanne, Morges, St-Prex, Nyon, Yverdon, Orbe, Payerne, Moudon-Lucens, Vevey, Montreux, e Aigle. Exceptua-se a de Renens, que escolheu desde logo fazer um caminho de integração com a paróquia suíça local.

A nível canónico e pastoral, a Missão lusófona no Vaud faz parte integrante da diocese de Lausanne, Genève et Fribourg (L.G.F.), sendo que a comunidade de Aigle pertence à vizinha diocese de Sion. O representante do Bispo Charles Morerod na região diocesana de Vaud é o sr. Michel Racloz.

No âmbito administrativo e de relações com o Estado, a Missão apresenta-se como membro fundador da Federação eclesiástica católica romana do cantão de Vaud (FEDEC-VD). No seio do respectivo Comité é representada pela Delegada das missões linguísticas d. Adozinda da Silva.

A interligação com as outras missões portuguesas na Suíça é feita através de um Coordenador nacional (pe. Aloísio Araújo – Lucerna) que também nos representa nas Comissões para os migrantes do episcopado suíço – MIGRATIO – e português – OCPM.

O núcleo desta Missão são os migrantes portugueses residentes no Vaud, mas ela abrange todos os católicos luso-falantes (cf. www.cplp.org).

Documentos

Folhas de domingo

Actividades
Pela paz na Ucrânia

Acto de Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Ó Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, recorremos a Vós nesta hora de tribulação. Vós sois Mãe, amais-nos e conheceis-nos: de quanto temos no coração, nada Vos é oculto. Mãe de misericórdia, muitas vezes experimentamos a vossa ternura providente, a vossa presença que faz voltar a paz, porque sempre nos guiais para Jesus, Príncipe da paz.

Mas perdemos o caminho da paz. Esquecemos a lição das tragédias do século passado, o sacrifício de milhões de mortos nas guerras mundiais. Descuidamos os compromissos assumidos como Comunidade das Nações e estamos a atraiçoar os sonhos de paz dos povos e as esperanças dos jovens. Adoecemos de ganância, fechamo-nos em interesses nacionalistas, deixamo-nos ressequir pela indiferença e paralisar pelo egoísmo. Preferimos ignorar Deus, conviver com as nossas falsidades, alimentar a agressividade, suprimir vidas e acumular armas, esquecendo-nos que somos guardiões do nosso próximo e da própria casa comum. Dilaceramos com a guerra o jardim da Terra, ferimos com o pecado o coração do nosso Pai, que nos quer irmãos e irmãs. Tornamo-nos indiferentes a todos e a tudo, exceto a nós mesmos. E, com vergonha, dizemos: perdoai-nos, Senhor!

Na miséria do pecado, das nossas fadigas e fragilidades, no mistério de iniquidade do mal e da guerra, Vós, Mãe Santa, lembrai-nos que Deus não nos abandona, mas continua a olhar-nos com amor, desejoso de nos perdoar e levantar novamente. Foi Ele que Vos deu a nós e colocou no vosso Imaculado Coração um refúgio para a Igreja e para a humanidade. Por bondade divina, estais connosco e conduzis-nos com ternura mesmo nos transes mais apertados da história.

Por isso recorremos a Vós, batemos à porta do vosso Coração, nós os vossos queridos filhos que não Vos cansais de visitar em todo o tempo e convidar à conversão. Nesta hora escura, vinde socorrer-nos e consolar-nos. Repeti a cada um de nós: «Não estou porventura aqui Eu, que sou tua mãe?» Vós sabeis como desfazer os emaranhados do nosso coração e desatar os nós do nosso tempo. Repomos a nossa confiança em Vós. Temos a certeza de que Vós, especialmente no momento da prova, não desprezais as nossas súplicas e vindes em nosso auxílio.

Assim fizestes em Caná da Galileia, quando apressastes a hora da intervenção de Jesus e introduzistes no mundo o seu primeiro sinal. Quando a festa se mudara em tristeza, dissestes-Lhe: «Não têm vinho!» (Jo 2, 3). Ó Mãe, repeti-o mais uma vez a Deus, porque hoje esgotamos o vinho da esperança, desvaneceu-se a alegria, diluiu-se a fraternidade. Perdemos a humanidade, malbaratamos a paz. Tornamo-nos capazes de toda a violência e destruição. Temos necessidade urgente da vossa intervenção materna.

Por isso acolhei, ó Mãe, esta nossa súplica:
Vós, estrela do mar, não nos deixeis naufragar na tempestade da guerra;
Vós, arca da nova aliança, inspirai projetos e caminhos de reconciliação;
Vós, «terra do Céu», trazei de volta ao mundo a concórdia de Deus;
Apagai o ódio, acalmai a vingança, ensinai-nos o perdão;
Libertai-nos da guerra, preservai o mundo da ameaça nuclear;
Rainha do Rosário, despertai em nós a necessidade de rezar e amar;
Rainha da família humana, mostrai aos povos o caminho da fraternidade;
Rainha da paz, alcançai a paz para o mundo.

O vosso pranto, ó Mãe, comova os nossos corações endurecidos. As lágrimas, que por nós derramastes, façam reflorescer este vale que o nosso ódio secou. E, enquanto o rumor das armas não se cala, que a vossa oração nos predisponha para a paz. As vossas mãos maternas acariciem quantos sofrem e fogem sob o peso das bombas. O vosso abraço materno console quantos são obrigados a deixar as suas casas e o seu país. Que o vosso doloroso Coração nos mova à compaixão e estimule a abrir as portas e cuidar da humanidade ferida e descartada.

Santa Mãe de Deus, enquanto estáveis ao pé da cruz, Jesus, ao ver o discípulo junto de Vós, disse-Vos: «Eis o teu filho!» (Jo 19, 26). Assim Vos confiou cada um de nós. Depois disse ao discípulo, a cada um de nós: «Eis a tua mãe!» (19, 27). Mãe, agora queremos acolher-Vos na nossa vida e na nossa história. Nesta hora, a humanidade, exausta e transtornada, está ao pé da cruz convosco. E tem necessidade de se confiar a Vós, de se consagrar a Cristo por vosso intermédio. O povo ucraniano e o povo russo, que Vos veneram com amor, recorrem a Vós, enquanto o vosso Coração palpita por eles e por todos os povos ceifados pela guerra, a fome, a injustiça e a miséria.

Por isso nós, ó Mãe de Deus e nossa, solenemente confiamos e consagramos ao vosso Imaculado Coração nós mesmos, a Igreja e a humanidade inteira, de modo especial a Rússia e a Ucrânia. Acolhei este nosso ato que realizamos com confiança e amor, fazei que cesse a guerra, providenciai ao mundo a paz. O sim que brotou do vosso Coração abriu as portas da história ao Príncipe da Paz; confiamos que mais uma vez, por meio do vosso Coração, virá a paz. Assim a Vós consagramos o futuro da família humana inteira, as necessidades e os anseios dos povos, as angústias e as esperanças do mundo.

Por vosso intermédio, derrame-se sobre a Terra a Misericórdia divina e o doce palpitar da paz volte a marcar as nossas jornadas. Mulher do sim, sobre Quem desceu o Espírito Santo, trazei de volta ao nosso meio a harmonia de Deus. Dessedentai a aridez do nosso coração, Vós que «sois fonte viva de esperança». Tecestes a humanidade para Jesus, fazei de nós artesãos de comunhão. Caminhastes pelas nossas estradas, guiai-nos pelas sendas da paz. Amen.

Roma/Fátima, 25 de Março de 2022

Permanências consulares 2023

A Missão portuguesa esteve a colaborar com o Consulado português de Genebra cedendo gratuitamente as instalações da sua sede cantonal para a organização de permanências consulares.

Calendario 2023
1. Semestre – concluído
2. Semestre – datas e local a anunciar

Através deste serviço móvel é possível requerer a emissão de passaporte e Cartão de Cidadão, bem como pedir a alteração de morada e proceder ao levantamento do documento de identificação civil.

Todos os pedidos devem ser agendados através do e-mail : consulado.genebra@mne.pt.

O atendimento decorre das 9h às 15h, com pausa entre as 12h e as 13h.

Catequese e sacramentos
Catequese

A maioria das comunidades portuguesas oferece um serviço de formação cristã das crianças que segue de perto o Itinerário de Catequese de Infância (SNEC) adoptado oficialmente em Portugal.

Os pais são convidados a matricular os filhos que tenham cumprido 6 anos até 31 de Julho. Uma primeira etapa de 3 anos termina com a celebração da Primeira Comunhão; uma segunda etapa, também com a duração de 3 anos, fecha com a festa da Profissão de Fé (Comunhão Solene).

Em várias comunidades existe também uma proposta de continuidade de formação para adolescentes e jovens, com vista à celebração do sacramento da Confirmação.

Situações especiais são analisadas e integradas caso a caso pela equipa de catequistas local, sob responsabilidade final do missionário responsável.

As actividades de catequese foram fortemente condicionadas pela pandemia de Covid 19, o que veio exigir diversas adaptações à caminhada normalmente realizada em cada comunidade.

Sacramentos

Sacramento do baptismo

Baptismos de crianças (0-6 anos) na Suíça

  • pedido de inscrição junto do sacerdote da comunidade local
  • contacto com a paróquia suíça (para reservar a igreja e tratar do registo)
  • participação nas reuniões de preparação para pais e padrinhos

Baptismos de crianças (0-6 anos) fora da Suíça

  • pedido de autorização de transferência junto do sacerdote da comunidade local
  • participação nas reuniões de preparação cá ou lá

Baptismos de crianças em idade escolar (> 6 anos)

  • pedido de inscrição junto do sacerdote da comunidade local
  • preparação ligada ao percurso da catequese de infância
  • participação no Apelo decisivo (rito da eleição), no início da Quaresma

Baptismos de adultos

  • pedido de inscrição junto do sacerdote da comunidade local
  • preparação catecumenal com duração mínima de um ano
  • participação no Apelo decisivo (rito da eleição), no início da Quaresma

Padrinhos de Baptismo

  • se o baptizado é no Vaud e os padrinhos residem fora: pedido de atestado de idoneidade junto do sacerdote da paróquia/comunidade de residência
  • se os padrinhos residem no Vaud e o baptizado é fora: pedido de atestado de idoneidade junto do sacerdote da comunidade local
  • Condições exigidas: ter pelo menos 16 anos de idade; já ser crismado/a; levar uma vida consentânea com as leis da Igreja.

Sacramento da confirmação

O Crisma ou Confirmação pertence aos chamados sacramentos da iniciação cristã. É proposto a todos os que desejem ver “confirmados” os seus compromissos baptismais, para se unirem mais fortemente a Cristo e à Igreja, e testemunharem mais firmemente a fé cristã. Ele completa a formação básica da pessoa crente católica. Quem deseje vir a casar pela Igreja deve possuir este sacramento. É necessário tê-lo recebido para se poder ser padrinho ou madrinha de Baptismo ou Crisma.

Nota: A diocese L.G.F. recomenda insistentemente a recepção do Crisma a quem quiser casar-se pela Igreja.

Sacramento da reconciliação

Deseja confessar-se?

O mais aconselhável é contactar directamente o sacerdote responsável pela comunidade a que pertence e marcar com ele um rendez-vous.

Pode também contactar a sede da Missão (dentro dos horários de funcionamento), onde por norma se encontra pelo menos um dos padres missionários a trabalhar.

Se participar na eucaristia dominical, pode perguntar ao celebrante se tem uns minutos disponíveis, antes ou depois da missa, para atendimento em confissão.

A Missão propõe também momentos fortes de Reconciliação nas diversas comunidades por ocasião das grandes festas do ano litúrgico (Natal e Páscoa), ou da celebração de sacramentos (Comunhões, Crisma).

Funerais

A Missão encontra-se ao dispôr das famílias enlutadas que desejem organizar no cantão de Vaud uma cerimónia de despedida do seu querido ente defunto em língua portuguesa.

Havendo esse desejo, as famílias deverão expressá-lo aos responsáveis da funerária contratada e/ou à secretaria da paróquia suíça onde se irão realizar as cerimónias. Por norma, serão estes a contactar o respectivo missionário português para acertar a data e hora da celebração.

N.B.: Em tempo de pausa estival das comunidades, só é possível realizar funerais em francês, a organizar com a paróquia suíça local.

Alertamos para o facto de, por vezes, haver alguma dificuldade de contacto dos sacerdotes ao fim-de-semana, bastante carregado com actividades pastorais, e à segunda-feira, dia tradicionalmente dedicado ao seu descanso. Agradecemos a compreensão.

Questões sobre a cremação ou incineração

CURSO DE NOIVOS 2024 : data a anunciar.

Para a elaboração do processo canónico e preparação espiritual dos nubentes, é favor contactar o sacerdote responsável da comunidade local com a devida antecedência (seis meses antes, pelo menos).

Documentos necessários (por norma) :

  • cópia do permis de residência na Suíça
  • certidão narrativa de Baptismo com a referência ao Crisma e a indicação expressa “à margem do assento nada (mais) consta” (ou fotocópia autenticada do assento de Baptismo)
  • certidão de casamento civil (ou certificado para casamento civil)
  • Ritual do Matrimónio

Notícias

Últimas notícias das nossas paróquias

Agenda da paróquia

Junte-se a nós para
os nossos próximos
eventos

A vida da comunidade em imagens

Vídeo